Publicações atualizadas em nossa página do FACEBOOK




Publicações do nosso blog

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Comunicação binária cérebro a cérebro feita pela internet

Comunicação cerebral

Uma equipe internacional de pesquisadores demonstrou uma comunicação cérebro a cérebro via internet na qual os dois voluntários estavam a 7.800 km de distância um do outro.

Na demonstração, a palavra "hola" - olá, em espanhol - gerada pelo primeiro voluntário, em Thiruvananthapuram, na Índia, foi recebida pelo segundo voluntário, em Estrasburgo, na França.

010150140915-comunicacao-cerebro-cerebro

A palavra gerada pelo emissor foi captada por um capacete de eletrodos, que registra alterações eletroencefalográficas do cérebro, gerando um código binário correspondente.

O emissor não pensou na palavra, ele efetuou movimentos com as mãos - que são detectáveis pelo eletroencefalograma - para representar cada 0 e cada 1 até formar a palavra hola inteira.

O código, como qualquer outra mensagem via internet, foi então transmitido até o computador do receptor.

O receptor captou a mensagem por meio de uma interface computador-cérebro que transformou os 140 bits que compõem a palavra em "fosfenos" - piscadas de luz. O voluntário entendia uma piscada como um 1 e uma falta de piscada como um 0.

A seguir, foi só decifrar o código binário e ver o que ele representava.

O experimento foi repetido 10 dias depois com a palavra ciao (tchau).

Interpretação consciente

"Nós obtivemos uma comunicação cérebro a cérebro consciente," disse Carles Grau, da Universidade de Barcelona, e principal idealizador do experimento.

"De fato, nós podemos usar o termo transmissão mente a mente porque ambos, o emissor e o receptor humanos, participaram conscientemente," defendeu ele.

Segundo a equipe, experimentos como este são "um importante avanço tecnológico que abre novas rotas de pesquisa, como a transmissão direta e não-invasiva de sentimentos e emoções, ou a conexão direta de sensores externos (informações gravadas não acessíveis aos órgãos sensoriais naturais) com o cérebro humano por meio de estimulação não-invasiva do cérebro".

Parece uma previsão otimista, ao menos no estágio atual da tecnologia. Afinal, transformar uma emoção em código binário parece algo bem mais desafiador.

Bibliografia:

Conscious Brain-to-Brain Communication in Humans Using Non-Invasive Technologies
Carles Grau, Romuald Ginhoux, Alejandro Riera, Thanh Lam Nguyen, Hubert Chauvat, Michel Berg, Julià L. Amengual, Alvaro Pascual-Leone, Giulio Ruffini
PLoS ONE
Vol.: 9(8): e105225
DOI: 10.1371/journal.pone.0105225



EmoticonEmoticon