Publicado em: seg, ago 18th, 2014

SECA HISTÓRICA PROVOCA “GUERRA DA ÁGUA” ENTRE SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO

bda1b2d4229c8e700e47110785080f85-783x450

A escassez de água provocada pela falta de chuvas deste ano e pela ausência de políticas de preservação no sudeste brasileiro está a provocar um conflito político entre São Paulo e Rio de Janeiro.

Com a crise no sistema de represas Cantareira, responsável pelo abastecimento de 15 milhões de pessoas, mais de oito milhões na região metropolitana de São Paulo, o Estado anunciou uma proposta de transpor cinco mil litros de água do rio Paraíba do Sul para um de seus reservatórios.

No entanto, essa decisão foi logo polémica porque o Paraíba do Sul fornece água para 10 milhões de pessoas na região metropolitana do Rio de Janeiro.

O impasse pode parar no Supremo Tribunal Federal brasileiro, a mais alta instância judicial do país, já que, na última quinta-feira, a Justiça Federal no Rio de Janeiro informou ser incompetente para julgar o caso, por se tratar de um conflito que envolve mais de um Estado.

Enquanto isso, jornais do Rio de Janeiro e de São Paulo noticiam que já há falta água nas torneiras de moradores de algumas regiões dos dois Estados.

A esse contexto soma-se o facto de este ser um ano de eleições tanto para presidente como para governadores, o que torna a questão da água essencial para as campanhas políticas.

O especialista em recursos hídricos Samuel Barrêto afirmou que a falta de água é causada por uma série de factores, e que as crises e disputas políticas são “o pior cenário” possível.

Efeitos da seca na Amazónia, Brasil

Ano de seca histórica

“Se todo o mundo usasse bem o recurso, poupava-se. A escassez já passou dos limites, e temos de reverter esse cenário”, afirmou Barrêto, coordenador do Movimento Água para São Paulo, vinculado à organização “The Nature Conservancy” (TNC), que procura soluções para desafios de conservação ambiental em 35 países.

Segundo Barrêto, 2014 é um ano de secas históricas no sistema Cantareira, mas a escassez de água também é resultado da concentração populacional, da contaminação dos mananciais, do desmatamento e das perdas de água durante a distribuição, tanto por ineficácia como por roubo de água.

A região metropolitana de São Paulo, que possui mais de 20 milhões de habitantes, tem uma procura de água 4% acima da sua capacidade de oferta, afirma o especialista. Em dez anos, essa diferença pode subir para 15%.

Barreto defende que o tratamento da água privilegie não só as obras de engenharia, mas também combata o desperdício e a recupere os reservatórios.

O Movimento Água para São Paulo está a captar investimentos para recuperar uma área equivalente a 14 mil campos de futebol, com projectos de diminuição do assoreamento de sedimentos nos rios, recomposição florestal e manejo de solo.

Hendrik Mansur, especialista em conservação na TNC no Rio de Janeiro, realçou que é necessário trabalhar em soluções de curto prazo, com a gestão da água feita pelos comités ambientais, e de longo prazo, com o fortalecimento de políticas públicas.

Um exemplo a ser seguido, afirma, é o programa de Pagamento por Serviços Ambientais na bacia do rio Guandu, que apoia os produtores que ajudem a restaurar e a conservar hectares.

via: http://zap.aeiou.pt/seca-historica-provoca-guerra-da-agua-entre-sao-paulo-e-rio-de-janeiro-39298

Comente com o facebook



Mais abaixo comente sem ter conta no facebook

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags html: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Licença Creative Commons
O trabalho Segundo Sol está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-Compartilha-Igual 4.0 Internacional.
A cópia é estimulada desde que seja citada a fonte.

Este blog tem finalidades exclusivamente informativas e exprime as opiniões pessoais e subjetivas do autor.
Este blog não garante a exatidão do conteúdo fornecido nem pode ser considerado responsável por eventuais erros ou inexatidões das informações presentes no blog ou nos links externos. Este blog não é responsável pelos conteúdos inseridos por parte dos internautas na seção "Comentários".
Se em alguma publicação, direitos de autor ou de terceiros forem violados, por favor, contactar com o blog para podermos remover o conteúdo, escrever para: contato@segundo-sol.com informando o link. O conteúdo será prontamente removido.

Liberdade de Expressão
É importante esclarecer que este blog, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal ...
veja mais aqui

Print