Publicações atualizadas em nossa página do FACEBOOK




Publicações do nosso blog

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Morte de 1.100 pinguins intriga cientistas no RS

Fenômeno El Niño, poluição e ação do homem no oceano Atlântico podem influenciar o destino de pinguins que saem da Patagônia em busca de comida


pinguim-colonia-620-size-598

Os pinguins saem da Patagônia em busca de comida e chegam à costa gaúcha pelas correntes marítimas (Jupiterimages/ThinkStock/VEJA)




O número de pinguins encontrados mortos no litoral gaúcho neste ano está chamando a atenção de pesquisadores. Segundo levantamento do Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS ), cerca de 1.100 animais foram encontrados sem vida nas areias do Estado - em um raio de 150 quilômetros - nos últimos três meses.


Os chamados pinguins-de-magalhães encontrados mortos são, em sua maioria, jovens e não possuem manchas de óleo no corpo. Para os especialistas, uma das causas da mortandade é a dificuldade de os animais, ainda imaturos, encontrarem alimentos em alto-mar. Eles deixam os ninhos na Patagônia e pegam carona nas correntes marítimas em direção ao Norte à procura de comida.


É normal que os mais fracos e menos aptos morram. Nesta última temporada, contudo, as mortes aumentaram - só em julho, por exemplo, foram 439 pinguins. A poluição e a ação do homem no Atlântico - que vai desde a presença de sacolas plásticas a redes de pesca em alto-mar - também são fatores a serem levados em conta. Uma questão natural a ser considerada é a ação do El Niño, fenômeno climático que altera as correntes marítimas.


Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/em-tres-meses-mais-de-mil-pinguins-morrem-no-rs


EmoticonEmoticon