Publicado em: sex, out 25th, 2013

As “bolas de fogo” no rio Mekong, um desafio mitológico para a ciência

Gaspar Ruiz-Canela.

Phong Phisai (Tailândia), 25 out (EFE).- As “bolas de fogo” que brotam do rio Mekong nesta época na altura da Tailândia e do Laos continuam sendo um desafio para os cientistas, enquanto para muitos locais a resposta é a serpente mitológica Naga.

No fim de semana passado, milhares de pessoas se reuniram nas margens do Mekong do lado tailandês e laosiano para observar, em clima festivo, este fenômeno que os locais relacionam com a celebração budista do final do Vassa em noite de lua cheia.

“Eu nasci aqui em Nong Khai e o vi todos os anos. São umas bolas de fogo de cor vermelha que sobem muito alto. A princípio, chamávamos de fogo fantasma, mas sabemos que Naga é o deus mais sagrado do rio e colocamos seu nome”, disse à Agência Efe Kasem Srikulwong, de 78 anos.

“Acho que é realmente a Naga. Se fosse natural ou tivesse uma explicação científica, porquê ocorre exatamente neste dia e não há som, calor ou luzes artificiais?”, questionou o tailandês em sua loja na cidade de Phong Phisai, em frente ao rio Mekong.

O fenômeno do “bang fai phaya nak” (“bolas de fogo da gigante Naga”, em tailandês) coincide com o fim do Vassa, também conhecido como a quaresma budista, no qual os monges se retiram a seus templos durante a época das monções.

Algumas fontes populares assinalam que a Naga lança as bolas incandescentes para saudar Buda na sua visita à Terra com o fim do Vassa, que dura cerca de três meses, entre julho e outubro, em função do calendário lunar.

Nestes dias festivos, promovidos desde os anos 1990 pela Autoridade Tailandesa de Turismo, milhares de pessoas se deslocam à tranquila província de Nong Khai, no nordeste, o que representa uma grande fonte de renda.

Sentados na margem do Mekong, os presentes lançam gritos de júbilo a cada vez que aparece na escuridão do rio as esferas vermelhas de diferentes tamanhos que alcançam dezenas ou centenas de metros até desaparecer.

Essas bolas se distinguem pela forma e trajetória dos balões de papel que se perdem no céu ou dos fogos de artifício, embora frequentemente seja difícil apreciá-las claramente com vídeo ou a olho nu por causa da distância e da escuridão.

Este misterioso fenômeno acontece ao longo de vários quilômetros do Mekong e se deve, segundo muitos locais, à Naga, um Deus hindu e budista em forma de serpente, que é muito venerado na Tailândia e no Laos, especialmente nas regiões em torno do rio.

Em muitas lojas em torno de Phong Phisai há fotografias do Naga e inclusive escamas e marcas deixadas supostamente pelo ser mitológico no Mekong.

Os cientistas tailandeses não chegaram a uma explicação plausível sobre as bolas de fogo, um fenômeno cuja existência reconhecem e estudam a cada ano para tentar encontrar suas causas.

Em 2003, uma equipe de cientistas do Ministério de Ciência e Tecnologia da Tailândia não pôde chegar a nenhuma conclusão, embora tenha levantado a hipótese de que este fenômeno fosse produto da ignição de gases de metano e nitrogênio originados por bactérias no fundo do rio.

Estes gases, segundo o relatório do Ministério, se inflamam ao entrar em contato com o oxigênio em circunstâncias muito concretas de temperatura e umidade.

Outros estudos também incluíram a possibilidade de que se trate de gases como o fosfano e difosfano, gases incolores que explodem em temperatura ambiente, embora alguns cientistas, como o professor Jessada Denduangboripant, da Universidade de Chulalongkorn em Bangcoc, pensem que é um fenômeno criado pelo homem.

“Os gases podem entrar em combustão e desaparecer, mas não se transformam em uma bola de fogo com força suficiente para subir vários metros no ar, portanto não é plausível a explicação química do fenômeno”, explicou Jessada.

Em 2002, uma equipe do canal de televisão tailandês “ITV” transmitiu um programa no qual mostrava os soldados do Laos disparando com pistolas e os tailandeses na outra margem ovacionando o ato ao pensar que eram as borbulhas ígneas do Naga.

Milhares de moradores de Nong Khai se manifestaram contra o programa da “ITV” e inclusive o embaixador laosiano em Bangcoc, Hiem Phommachanh, criticou o canal de televisão e rejeitou que o fenômeno seja uma fabricação artificial.

“De verdade, pensam que os soldados laosianos estiveram disparando as bolas de fogo do Naga cada ano durante os últimos séculos?”, perguntou ironicamente o diplomata, que apontou que o fenômeno ainda requer uma pesquisa científica mais aprofundada. EFE


Notícia compartilhada no site: www.segundo-sol.com

Comente com o facebook



Mais abaixo comente sem ter conta no facebook

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags html: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Licença Creative Commons
O trabalho Segundo Sol está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-Compartilha-Igual 4.0 Internacional.
A cópia é estimulada desde que seja citada a fonte.

Este blog tem finalidades exclusivamente informativas e exprime as opiniões pessoais e subjetivas do autor.
Este blog não garante a exatidão do conteúdo fornecido nem pode ser considerado responsável por eventuais erros ou inexatidões das informações presentes no blog ou nos links externos. Este blog não é responsável pelos conteúdos inseridos por parte dos internautas na seção "Comentários".
Se em alguma publicação, direitos de autor ou de terceiros forem violados, por favor, contactar com o blog para podermos remover o conteúdo, escrever para: contato@segundo-sol.com informando o link. O conteúdo será prontamente removido.

Liberdade de Expressão
É importante esclarecer que este blog, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal ...
veja mais aqui

Print