Escala da diferença entre o tamanho de Planetas do Sistema Solar e diferentes Estrelas

domingo, 25 de novembro de 2012

Comparando o tamanho dos planetas e de algumas estrelas, você vai ver que, mesmo Júpiter, o gigante gasoso do nosso sistema solar, não é tão grande quanto você pensa.

Para que possamos comparar melhor o tamanho dos diversos astros, vamos observar algumas imagens.

A primeira delas nos mostra que a Terra e Vênus tem tamanho muito parecidos. O raio equatorial da Terra é de 6378 km, enquanto o de Vênus, 6051 km. Uma diferença não muito grande.


Marte, por sua vez, é bem menor. Seu raio é de 3397 km, ou seja, um pouco maior que a metade do nosso planeta. Marte é 1.3 vezes maior que Mercúrio, com 2439 quilômetros de raio, que por sua vez é o dobro de Plutão, com 1160 km. Não é a tôa que Plutão foi rebaixado, não acha? A maioria dos telescópios de médio porte, usado por amadores, não consegue vê-lo. Plutão é menor que nossa Lua, que tem 1738 quilômetros de raio!

Gostou dessa comparação? Então vamos à próxima.
Ela nos mostra os gigantes gasosos, como são conhecidos Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.


Júpiter, o maior planeta do sistema solar, tem 71492 quilômetros de raio, 11 vezes maior que o raio do nosso planeta. Se fosse ôco, caberia mais de 2 mil Terras dentro dele! Saturno, o segundo maior planeta, não fica atrás. Seu raio é de 60268 quilômetros.

Bem menores, Urano e Netuno têm 51108 e 49538 quilômetros de raio, mesmo assim, aproximadamente 8 vezes maiores que Terra. A figura mostra bem o quanto somos pequeninos perto desses gigantes de gás !

Na sequência vemos o Sol. Seu raio, de 695 mil quilômetros é 100 vezes maior que o raio terrestre. Mesmo o gigantesco Júpiter não passa de uma bolinha de gude quando comparado ao astro-rei. Veja que a Terra, nossa bela Terra, não atinge sequer o tamanho de uma pulga !


Mas as comparações não param. Nem mesmo o Sol é tão grande quanto parece. A ilustração abaixo mostra que até ele se torna uma pequena estrela quando comparado à outros sóis, muitos anos-luz distantes. Nosso Sol não passa de uma lanterna quando comparado à Sirius, distante 25 anos-luz do nosso planeta e a estrela mais brilhente no céu noturno.

A imagem acima não faz parte da notícia original, portanto foi incluída para melhor ilustrar a dimensão de Hercólubus (Segundo Sol), comparado com planetas e o nosso Sol.


Mas até mesmo Sirius, se comparada à grande Arcturus, perde sua majestada. Essa estrela gigante, 17 vezes maior que o Sol, põe suas concorrentes no chão e faz nosso Sol parecer uma pequena lamparina !

Mas não se iluda. No universo a briga é boa e quando você acha que já viu tudo, pode se enganar. Veja a imagem abaixo.


Agora quem parece uma pulga é a gigantesca Arcturus. Perto de Antares, uma supergigante vermelha distante 600 anos-luz da Terra, tudo parece pequeno. Antares é 700 vezes maior que nosso sol e brilha 10 mil vezes mais forte. Localiza-se no centro da constelação do Escorpião, e devido à sua coloração avermelhada, alguns astrônomos a chamam de Coração do Escorpião.

Como deu pra notar, em um universo gigantesco, nossa Terra não é tão importante quanto imaginamos !

Veja a animação no vídeo abaixo:



Gostou? Clique abaixo e envie esta mensagem para o facebook, twitter, ou Google+
Agradecemos a divulgação!

Os comentários desse site estão fechados.
Como não temos o objetivo de tentar convencer ninguém (cada um chegou nesse espaço por livre e espontânea vontade), continuaremos atualizando e o disponibilizando, apenas por caráter informativo.
Em relação às publicações: que cada um tire suas próprias conclusões.
Embora hoje a ciência negue, ela já estudou por vários anos o Planeta X (Segundo Sol) e temos uma seção no site, com várias publicações a respeito.
Existem testemunhos de pessoas que afirmam que viram e registraram o Segundo Sol "com os olhos da carne"; e até mesmo os Profetas já previram a existência desse astro (cito Nostradamus como exemplo).
Não podemos criar regra nem parâmetro para nada, pois é a mesma coisa que tentarmos conhecer o desconhecido com o conhecido, tentarmos conhecer o ilimitado com o limitado. Usar nossas referências não ajudam em nada. Vale a pena deixar uma possibilidade em aberto!

Obs. Conseguimos fazer uma configuração, para manter no ar os comentários já publicados (anteriores a 14/09/2012), até mesmo por respeito às pessoas que já comentaram. Publicações posteriores a essa data, por padrão, está configurada para não receber comentários.





2 Comentários foram registrados nessa publicação


Anônimo comentou:

Muito interessante .
Gostei .
Muito grata.
Maria - Portugal

29 de abril de 2012 15:26

jorge comentou:

Quando vejo isso, me falta o ar !!!

Jorge - Ouro Branco MG

30 de abril de 2012 22:08