Publicações atualizadas em nossa página do FACEBOOK




Publicações do nosso blog

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Grande explosão solar chegará à Terra nos dias 8 e 9 de setembro


X-FLARE: Os satélites que orbitam a Terra detectaram uma explosão solar de Classe X2 a partir da mancha solar 1283. A explosão que ocorreu às 22:20 UT em 06/09/11. Parece ter emitido uma CME (Ejeção de massa coronal) em direção à Terra. Esta é a segunda vez que a mancha 1283 envia uma nuvem de plasma em direção à Terra. Como a localização da mancha solar é central relativamente ao disco solar, a erupção deve ser dirigida à Terra. Provavelmente, espera-se que o campo magnético da Terra receba o impacto nos dias 8 e 9 de setembro de 2011.


Fotne: Spaceweather



Um pouco mais sobre as Explosões Solares de Classe X e o que elas podem ocasionar


A linha vermelha exibida no gráfico mostra o Fluxo de Raios X registrado pelo satélite GOES-14 no comprimento de onda entre 1 e 8 angstrons. Dentro desta região do espectro, os flares solares produzem picos que permitem classificar a intensidade da tempestade solar.

Picos superiores a 10-5 já são considerados tempestades. Maiores que 10-4 são tempestades de classe X, bastante intensas.

Do lado direito do gráfico existe a correlação entre o fluxo de raios X e os flares solares. Flares de Classe X podem provocar blackouts de radiopropagação que podem durar diversas horas ou até mesmo dias.

As rajadas da Classe M são de tamanho médio e também causam blackouts de radiocomunicação que afetam diretamente as regiões polares. Rajadas de Classe C ou inferiores são fracas e pouco perceptíveis aqui na Terra.


O pior é que não está sendo divulgado pela mídia. A maioria da humanidade fica esperando passar notícias na televisão. Praticamente não está sendo divulgado pela mídia (só encontrei maiores informações em sites científicos).
Achei apenas uma notícia no site da foxnews 

Resumo:
O Sol dispara duas grandes Explosões Solares de Classe-X
O tipo mais poderoso de tempestade solar (classe X) ocorreu às 22:12 GMT na terça-feira (06 de setembro) e atingiu o seu pico de intensidade em oito minutos depois. Menos de 24 horas depois outra tempestade menos intensa ocorreu.

Diferentes satélites assistiram a ação se desenrolar, incluindo Solar Dynamics Observatory da NASA, que constantemente registra vídeos de alta definição do sol em vários comprimentos de ondas diferentes.

Esta tempestade solar pode ter produzido uma ejeção de massa coronal (CME), que visa a Terra, disseram os pesquisadores.

CMEs são nuvens maciças de plasma solar que pode viajar pelo espaço a cerca de 3 milhões mph (5 milhões de quilômetros por hora). CMEs que atingem a Terra pode causar estragos no nosso planeta, causando interrupções em sinais de GPS, comunicações de rádio e redes de energia.

Notícia na Íntegra: http://www.foxnews.com


EmoticonEmoticon